domingo, 25 de outubro de 2009

Pseudolalia - Doença da mentira


Pseudolalia - Doença da mentira


A Pseudolalia é uma mentira compulsiva resultante dum longo vício de mentir. A pessoa mente por mentir, perde a noção do que é verdade ou não, convence-se das mentiras como puras verdades.
A pseudolalia pode conduzir a graves distúrbios de personalidade, podendo o pseudolálico acabar por perder a sua individuação e viver num real criado imaginariamente, comportando-se duma forma difícil de contacto humano e só com tratamentos profundos poderá melhorar.
As pessoas perdem lenta e gradualmente a consciência da gravidade da doença que vão adquirindo, porque a sua realidade vai perdendo cada vez mais sintonia com o verdadeiro real. Por fim o vício de mentir é um ato inconsciente e perante a mais simples situação a fuga à verdade brota espontânea e como uma repetição compulsiva e criação de verdades inexistentes.
Quem desenvolve está doença tem por costume mentir e jurar dizer a verdade, jura pelo pai, mãe,  filho, irmão mortinhos e tem a aldácia de jurar até por DEUS.

Mentirosos compulsivos.

Há quem diga mentiras caridosas.
Há quem minta por vício.
Há quem diga meias verdades.

E também há quem diga sempre a verdade.
Existem, além destas, um outro tipo de mentiras: as provenientes do chamado mentiroso compulsivo, que mente sistematicamente e aparentemente sem razão.
Aqui estamos já a lidar com alguém para quem a mentira assume contornos de dependência, tal como o álcool ou a droga.
A mentira torna-se um vício, já que é dita de forma compulsiva, ou seja, o mentiroso tem consciência que está a mentir mas não consegue controlar esse impulso. fonte CORPO E MENTE
O vício compulsivo de mentir é a fuga da realidade.
Mais independente da circustância a mentira sempre é prejudicial,por este motivo eu detesto,mais temos que procurar analizar as situações,pois, há pessoas que são doentes mais  a maioria das que mente é por pura safadesa,
muitas estão jurando dizer a verdade e por trás estão fazendo figa.







Agência Unipress Internacional

Por Nilbe Shlishia



Visão de quem entende











Na opinião da dra. Leila Cury, Livre Docente, que já tratou vários casos de pseudolalia, a compulsão pela mentira é uma distorção.






"Existem pessoas que chegam ao ponto de não saber mais o que é verdade. Embora o assunto seja mais voltado para a criança, há muitos adultos vivendo o problema, o que torna a situação ainda mais grave", disse a médica.
Segundo a dra. Leila, é muito mais fácil trabalhar o problema na infância do que na fase adulta.
Com certeza você conhece alguém que mente, mais se você é uma pessoa mentirosa tome cuidado para não desenvolver esta doença...........................................................................................................................


De sua opinião de seu comentário

5 comentários:

  1. O pior quando esta doença pais aplicam em filhos inocentes.... eu tenho lido muito a respeito de mentiras diversas e seus graus bons ou não.

    ResponderExcluir
  2. Isso é muitissimo grave! tenho alguem muito perto com essa terrível doença...encaixa como luva nesse perfil. É muito dificil lidar com ela, pois a todo momento a confiança se perde nas infomações que ela transmite. Já li algo a respeito, e parece que não há cura?

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por todas as informações, me foram muito uteis, na verdade não sabia a respeito dessa patologia e foi um conforto muito grande me informar sobre ela e entender como ela funciona. Meu ex-marido se encaixa perfeitamente nesse quadro. Ele é uma pessoa que vive contando mentiras, já jurou que dizia a verdade pela sua própria mãe e até mesmo pelos seus filhos e por Deus, é impressionante. Ele sempre foi uma pessoa problema, sempre se meteu em rolos, mente pras pessoas que deve, aliás ele deve muito dinheiro, diz pra pessoa que enviou o dinheiro, a pessoa se desloca até o banco pra simplismente constatar que ele não depositou nenhum dinheiro, é impressionante, e o pior que ele fez isso para um parente dele, sua própria bisavó de mais de 70 anos de idade doente, que teve q pegar ônibus, pra no fim não receber nada. O que mais me impressiona é a falta de amor e compaixão ao próximo. Nosso casamento terminou porque eu já não aguentava mais as mentiras e estava ficando maluca. O pior é que ele tem o apoio da mãe dele que acredita em todas as mentiras dele e age como cega. Eu sofri muito porque o amava e tinhamos dois lindos filhos, mas foi a melhor decisão que tomei em minha vida. As mentiras na vida dele tomaram uma proporção tão grande que o maior absurdo que levou ao fim do casamento foi ele inventar uma história fantasiosa que a imigração americana pegou ele e eu as crianças tinhamos que nos deslocar de volta ao Brasil ( pois moravamos nos EUA) isso foi a gota da água. Nunca aceitei, nunca entendi tal comportamento, lendo um dia num site sobre esse doença percebi que ele se encaixava perfeitamente, isso não tira a culpa dele, pois tb acredito que essas pessoas têm consciência do que fazem e têm sua percentagem de safadesa, mas me deu o alívio e o conforto para seguir adiante. Obrigada e muita luz e paz para as pessoas que convivem com pessoas q têm essa doença.

    ResponderExcluir
  4. Olha eu tenho essa doença nem sei mais me controlar, não falo a verdade já a muito tempo sinto prazer em viver em um mundo fantasioso, minto para meus amigos para meus familiares, no meu trabalho em fim ... minto para me sentir importante, procurei até uma igreja evangélica para Deus me curar não quero mais viver engando as pessoas que eu amo. Me ajudem

    ResponderExcluir
  5. olá meu enteado é portador deste sintoma, fiz psicologia e tento me equilibrar ao conviver com tanta mentira, ele mente o tempo todo e só eu percebo tudo o que e verdade e o que nãp e, converso e alerto meu marido o tempo todo sobre isso faço ele mostrar para o filho que é mentira no momento do ato, ele tem 18 anos e pela minhas observações teve uma infancia totalmente conturbada, dificil de lhe dar um exemplo disso é que aos 8 anos foi pego com posse de arma, realmente deu muito trabalho agora essa, a mais ou menos um ano ele teve crise psicotica creio que desencadeou de uma grande confusão mental interna entre o real e o imaginário, realmente é muito dificil você saber de tudo isso ter estudado e CONVIVER é um mundo que você não esperava, mas agora o que eu vou fazer é EU procurar ajuda de um profissional e fazer terapia pois creio que em ossa família eu tenho que estar muito equilibrada para saber lhe dar com a situação e poder ajudá-lo de alguma forma e tambem não deixar que isso afete as crianças pois ele tem uma irmã de 9 e eu tenho uma filha de 8 que eu criei da minha maneira
    (nao posso deixar isso me afetar e deixar meu casamento de apenas 8 meses se acabar.

    ResponderExcluir